Quem com ferro fere, com ferro será ferido

 O Tamanduá Bandeira e as Formigas

Era uma vez, um Tamanduá Bandeira que passeava pelo campo, ele era muito forte, grande e imponente e adorava comer formigas.


O Tamanduá Bandeira ia de formigueiro em formigueiro destruindo tudo e devorando o máximo de formigas que podia. Após mais um ataque do Tamanduá Bandeira há um formigueiro as formigas exaustas recolhiam os restos de outras formigas mortas e começavam a reconstruir o formigueiro, após alguns dias o formigueiro estava reconstruído, mas o Tamanduá Bandeira não tardava e voltava para atacar o formigueiro matando e comendo muitas formigas, era um pandemônio. As formigas já não suportavam, mais esta situação e haviam se reunido para tentar por fim aquela situação intolerável. Depois de muitas reuniões secretas as formigas chegaram a denominador comum e propuseram um plano contra o Tamanduá Bandeira. Todas as formigas a partir deste dia ficaram de prontidão sempre apostos para deter o Tamanduá Bandeira. Passado alguns dias as formigas começaram a ouvir estrondos no chão e pequenos tremores que ficavam cada vez maiores, era o Tamanduá Bandeira se aproximando, o alerta vermelho foi disparado dentro do formigueiro e todas as formigas ficaram apostos prontas para o ataque do Tamanduá Bandeira.



O Tamanduá Bandeira escalou o formigueiro e disparou sua longa e poderosa língua dentro do formigueiro, destruindo moradias e matando várias centenas de formigas. As formigas em desespero controlado, corriam para substituir as formigas mortas em seus postos de batalha, em um tremendo esforço coletivo as formigas começaram a derrubar as pilastras que mantinham o formigueiro de pé, várias formigas morreram soterradas nesta operação, mesmo assim continuavam com muita determinação a por seu plano secreto em prática.


A ponderosa arma do Tamanduá Bandeira contra as formigas, uma longa e poderosa “língua”, ficou presa dentro do formigueiro em função do desabamento provocado pelas formigas.


As formigas continuam tenazmente a destruir as colunas de sustentação do formigueiro, com isso a língua do Tamanduá Bandeira foi ficando cada vez mais enroscada dentro do formigueiro. Milhares de formigas foram mortas com a implosão do formigueiro, mas desta vez o Tamanduá Bandeira ficou preso ao formigueiro preso pela sua própria língua por vários dias até que morreu de fome e sede.


Autor: Clovis Alessandro Begliomini.

Home " A felicidade não é recompensa da virtude mas a própria virtude."Filósofo: (Spindola)